sábado, 21 de fevereiro de 2009

A Luz


A luz fluorescente do poste

Colore toda rua de laranja:

asfalto laranja,

portões laranja,

calçada laranja,

pessoas laranja.

Os carros passam e nem reparam

Mas também ficam alaranjados

E nessa noite laranja-fluorescente

Pessoas se apressam para não perder o culto

cachorros reviram lixos

mulheres fofocam na esquina

meninos brincam de pique

rapazes cantam canções antigas

Da pequena janela observo tudo à distância

esse estranho universo

Que mesmo tão igual a tantos outros

Encanta-me como se fosse único.

Eita mundinho cor de laranja!

(Camila A. Borges)

4 comentários:

  1. Que simplicidade irreverente e boa de ler e imaginar!!!
    gostei

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    então...
    tambem queremos!
    (quase fui aí sábado pra ver o show do arnaldo antunes... mas nao rolou)
    :(
    assim q lançarmos o disco devemos ir por aí..

    e talvez role algo na Livraria Cultura...
    abraços!

    ResponderExcluir
  3. ahh, esquece esse blog ai, ele é antigo, esse aprendiz de sonhador, que saco, até aqui ele me persegue.xD

    ResponderExcluir

Deixe que digam, que pensem, que falem...